Pesquisa e Comunicação

Números não mentem

Cristina Panella Newsletters Leave a Comment

Na pesquisa e a comunicação bem sucedida números não mentem, sobretudo acompanhados de textos precisos.

Dados constituem um dos sustentáculos dos planejamentos e programas de comunicação atualmente, fornecendo evidências e insights críticos. A obtenção de informações quantitativas e qualitativas que se originam e tenham por foco as diferentes áreas da comunicação das empresas vem deixando, pouco a pouco, de ser um simples apêndice, uma espécie de escolha de “luxo” promovida por um executivo com budget excedente.

A pesquisa em geral – e os dados que proporciona – representam, hoje, um dos principais elementos do planejamento na comunicação corporativa e, muitas vezes, chegam a fazer parte da própria execução da estratégia de comunicação as empresas, estando na origem, para além dos resultados oferecidos, de ações de comunicação, ao lado de outras abordagens como a divulgação e assessoria de imprensa, o desenvolvimento e publicação de conteúdo ou as ações para obtenção de maior engajamento dos colaboradores.
Programas de comunicação bem-sucedidos costumam apoiar-se em fundamentos obtidos a partir de três principais abordagens em pesquisa:

a) Geração de informações e subsídios para decisões estratégicas: caso, por exemplo, da realização de pré-teste de campanhas de comunicação que definam e refinem as mensagens (seja qual for a técnica empregada – entrevistas, questionários ou grupos de discussão);

b) Monitoramento: com análises provenientes a partir do efetivamente publicado sobre a empresa e concorrentes;

c) Comprovações e geração de notícias: representados por pesquisas de opinião, que tragam resultados quantitativos, dados representativos da população estudada e que darão suporte à decisão e/ou sustentarão um ponto de vista (hipóteses levantadas anteriormente).

Seja qual for a abordagem melhor adaptada à sua situação e ao momento de vida de sua empresa, os insumos contribuem decisivamente para incrementar o sucesso da comunicação de sua empresa, além de fornecerem a força argumentativa de números que não mentem.

É por essa razão que a preparação cuidadosa do briefing e a seleção de abordagens e técnicas, garantida por meio de profissional experiente que trabalhe em cooperação com sua equipe é absolutamente necessária.

Para identificam os melhores temas para as mensagens, definir as melhores estratégias para incorporar a investigação de uma pré-campanha em sua abordagem de comunicação e, finalmente, sugerir as melhores maneiras de incorporar os resultados da pesquisa em sua comunicação, é necessária essa cooperação teórico-técnica que permitirá identificar o tipo de abordagem (qualitativa e/ou quantitativa) mais adequado, selecionar as técnicas com maior potencial e formular, adequadamente, as perguntas.
A máxima “números não mentem” não esgota o potencial da Pesquisa em Comunicação. À força dos números é preciso agregar a competência teórico-técnica de equipes mistas. A melhor combinação? Números acurados, sobretudo acompanhados de textos precisos.

Gostou? Compartilhe!

Breve apresentação da Cristina Panella Planejamento e Pesquisa. Vamos tomar um café para conversarmos sobre suas necessidades?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *