conectividade

O alcance da Pesquisa em Comunicação Interna

Cristina Panella Colunas Leave a Comment

Momentos econômicos difíceis, como o atual, têm a virtude de trazer os holofotes para a Comunicação Interna, uma vez que os empresários devem, mais do que nunca, repensar processos e, com eles, o modo de se comunicar internamente, buscando desenvolver o potencial dos colaboradores em busca de um aumento da produtividade.

O maior empecilho para a realização de pesquisas de Comunicação Interna que não se restrinjam somente à avaliação de veículos mas, também, procurem compreender a noção de pertencimento à empresa, assim como o orgulho de a ela pertencer, consiste em uma certa pretensão adotada pelos donos do negócio (no caso das empresas pesquenas ou médias) ou mesmo pelas áreas de RH, que costumam compartilhar que conhecem profundamente os colaboradores. Tudo se passa como se a relação profissional fosse absolutamente clara e transparente e pudesse se resumir aos conhecimentos obtidos na convivência de um “churrasco da firma” ou na análise das características sociodemográficas dos empregados.

Conhecer os colaboradores significa mais do que se basear-se nos dados como gênero, idade ou posição ocupada. É, sim, procurar conhecê-los em diferentes dimensões, o que significa interessar-se por seus hábitos e atitudes, não somente em relação às publicações da empresa, mas, também, no convívio social de forma ampla.

Há abordagens de pesquisa específicas para isso. E o conhecimento produzido não se encerra ao final da coleta de dados. A comunicação dos resultados, por exemplo, representa nova ação de compartilhamento e diálogo, bastante valorizadas pelos empregados.

Sete dicas para obter sucesso ao realizar pesquisas em comunicação interna

  1. Antes de mais nada, procure profissionais com formação e expertise adequadas. A maior fonte de erros em uma pesquisa decorre da má formulação das questões, o que compromete não somente as respostas como a análise dos resultados.
  2. Mantenha o anonimato do participante de forma que ele, em nenhuma circunstância, possa ser identificado na organização;
  3. Elabora um roteiro breve e objetivo. Estudos mostram que os colaboradores abandonam questionários que exijam mais de 10 minutos de atenção;
  4. Seja cuidadoso na comunicação que busca incentivar a participação dos colaboradores, para que os funcionários possam reconhecer a importância do estudo para a empresa;
  5. Seja transparente: publique resultados (ao menos parcialmente) e compartilhe com os colaboradores;
  6. Valorize o investimento da empresa e faça um comunicado geral, a partir dos resultados, sobre as possíveis ações que serão tomadas a partir da pesquisa;
  7. Incentive os executivos a comentarem com as suas equipes os principais resultados, ressaltando a importância da proatividade, a fim de conquistar e engajar os colaboradores.a

Breve apresentação da Cristina Panella Planejamento e Pesquisa. Venha tomar um café para conversarmos sobre suas necessidades.


Para conhecer o escritório do Grupo Attitude e a Galeria de Arte Urbana (25 grafiteiros), faça uma visita virtual!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *