img-artigo-newsletter-jun14

Ampliando nosso olhar sobre as PMEs

Cristina Panella Newsletters

As pequenas e médias empresas (PMEs) representam 99% dos estabelecimentos brasileiros e representam 20%, as MPEs representam 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, segundo dados mais recentes do IBGE.

Mais impressionante ainda, são responsáveis por 60% dos empregos no país. Ainda segundo o IBGE, a maior parte dos negócios estão localizados na região Sudeste (com quase 3 milhões de empresas) e o setor preferencial é o comércio, seguido de serviços, indústria e construção civil.

No entanto, muitas delas passam ao largo dos serviços especializados que propomos – e a culpa é nossa!

Uma das principais barreiras é representada pelo preço – real ou imaginado – dos serviços especializados. Tomando como exemplo nossos serviços, a maior parte das médias empresas crê que não poder dispor do valor necessário para investir em uma pesquisa que pudesse auxiliá-la a, por exemplo, melhorar seu desempenho e/ou, principalmente, um estudo que indique os melhores caminhos para fortalecer a marca. Mais do que nas grandes empresas, o monitoramento da performance da marca é um dos motores de seu desenvolvimento, uma vez que a concorrência produtos é acirrada.

Estudos que posicionem a marca e mapeiem a posição da empresa entre seus principais concorrentes, indicando os nichos ainda pouco explorados são fundamentais para que as áreas comercial, de marketing e de comunicação possam desempenhar suas funções com excelência.

Para além destes, todas as pesquisas e ações de comunicação interna são vitais para que a empresa possa crescer e ser capaz de atrair e reter talentos especialmente talhados para a função de co-empreendedores, construindo seu futuro exército de porta-vozes.

Nos últimos anos, dedicamo-nos a demonstrar o quanto a comunicação contribuía para os negócios das grandes empresas. Do nosso ponto de vista, chegou a hora de termos um papel decisivo com a empresa média, mostrando e demonstrando como a pesquisa traz insumos vitais para o desenvolvimento do mercado, da marca e do relacionamento com os públicos estratégicos. Ou seja: demonstrar como trabalho com pesquisa e indicadores entre clientes, fornecedores, público interno e outros pode contribuir decisivamente para o desenvolvimento do negócio do cliente médio.

Mais ainda, temos que enfrentar a questão preço! O que não significa diminuí-los nem tampouco ter uma linha B de produtos para as médias empresas, mas sim adequar objetivos às melhores técnicas e tecnologias à disposição da pesquisa assim como diluí-lo ao longo da prestação de serviço. É o que estamos desenvolvendo nesse momento com um kit especialmente pensado para médias empresas.

Vamos conversar mais sobre isso?

 

aplicHABILIDADE

Breve apresentação da Cristina Panella Planejamento e Pesquisa. Venha tomar um café para conversarmos sobre suas necessidades.

Para conhecer o escritório do Grupo Attitude e a Galeria de Arte Urbana (25 grafiteiros), faça uma visita virtual!