get_img

Otimismo, não. Enfrentar a realidade, sim.

Cristina Panella Colunas 1 Comment

Ao mesmo tempo em que se noticiam os efeitos nefastos da crise, proliferam os textos de gurus afirmando que a solução reside na boa vontade em enfrentá-la. Será que é suficiente?

Não conheço quem – pequeno, médio ou grande empresário – não esteja experimentando dificuldades reais com a atual crise. Como enfrentá-las?

Enganam-se aqueles que pensam que todo empresário começa cortando custos salariais. Essa é uma medida interna, que acaba se tornando necessária, depois que outros cortes não se mostram suficientes para enfrentar a redução de receitas. Mas, na grande maioria, as empresas tentam incrementar as ações comerciais procurando novas receitas.

O problema é que a crise não é setorial e nem de uma única empresa. Por essa razão, o mercado torna-se menor e as medidas de melhor posicionamento e esforço comercial das empresas são, sem dúvida, fatores muito importantes para o tempo da recuperação, mas raramente trarão uma modificação real do quadro atual.

A questão, portanto, não é de “boa vontade”, como se os que sofrem os efeitos da crise não tivessem personalidade para empreender. Não há fórmulas milagrosas. O que se pode e se deve fazer é voltar-se para o incremento da produtividade da empresa, única área em que o empresário pode atuar com determinação. Nesse quesito, a atenção deve ser voltada aos colaboradores que também sofrem, ainda que psicologicamente, com a crise, antevendo situações de corte de pessoal, entre outras.

É nesse momento em que a Pesquisa pode contribuir com as empresas e deve ser acionada. Tanto para melhor conhecer os fatores que explicam a identidade dos colaboradores com as empresa (o que, entre outros fatores, contribui para a retenção das equipes), como os conteúdos que projetam entre familiares e amigos e constroem a imagem que têm da empresa, participando decisivamente da divulgação, substância e reputação das empresas.

Breve apresentação da Cristina Panella Planejamento e Pesquisa. Venha tomar um café para conversarmos sobre suas necessidades.

Para conhecer o escritório do Grupo Attitude e a Galeria de Arte Urbana (25 grafiteiros), faça uma visita virtual!

Comments 1

  1. Pingback: Quando as causas ultrapassam nosso raio de ação - Cristina Panella

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *